O Centro Dramático Galego e a Cena Lusófona organizaram em Santiago de Compostela, entre 30 de Novembro e 2 de Dezembro de 2012, o III Encontro Internacional sobre Políticas de Intercâmbio no Âmbito das Artes Cénicas. Os trabalhos foram abertos pelo Conselheiro de Cultura, Educação e Ordenação Universitária da Galiza, Xesus Vásquez Abad, e decorreram na Cidade da Cultura. Participaram mais de setenta pessoas, a título individual ou representando instituições, da Galiza e de sete países de língua portuguesa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.
O programa incluiu duas mesas temáticas: “O Ensino Artístico na Galiza e nos países da CPLP” e “Empresa e Cultura”.

III EIPI 03

o ensino artístico
Sobre o primeiro tema, moderado na mesa por Rui Madeira, vice-presidente da Cena Lusófona, intervieram responsáveis pela Escola Superior de Arte Dramática da Galiza, pela Aula de Teatro da Universidade de Santiago de Compostela e pela Escola Municipal de Narón (Galiza); pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo e pelo curso de Teatro da Universidade do Minho (Portugal); pela SP Escola de Teatro (São Paulo, Brasil); e pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). Para além das apresentações de cada uma das instituições e dos respectivos projectos educativos, foram identificadas as principais áreas de possível colaboração, designadamente ao nível da mobilidade de alunos e professores. Regista-se a disponibilidade e o grande interesse unanimemente manifestados pelas escolas presentes em aprofundar os contactos e o inter-conhecimento, num processo de efectivo intercâmbio que este Encontro veio facilitar.

empresa e cultura
No que diz respeito ao financiamento privado da actividade artística (tema que pela primeira vez foi especificamente abordado nestes encontros), o debate foi moderado por Anxo Lorenxo, Secretario Xeral de Cultura da Xunta de Galicia. Destaca-se a presença de duas empresas com práticas continuadas de patrocínio à cultura: a DST (Portugal) e a Estrella Galicia (Galiza). José Teixeira, administrador da empresa portuguesa, salientou a importância das artes e de uma cultura humanista para o desenvolvimento das sociedades contemporâneas, incluindo do ponto de vista económico. Expôs a forma como a DST procura incorporar essa consciência na sua própria cultura e manifestou a disponibilidade da empresa para alargar a intervenção no campo cultural que actualmente desenvolve em Portugal a outros países do espaço lusófono. A cervejeira Estrella Galicia esteve representada pelo seu director de marketing, Xosé Cabanas, que elencou as principais actividades apoiadas nos últimos anos e reafirmou o interesse da marca em continuar a associar-se a todas as iniciativas cujos objectivos coincidam com a estratégia comercial da empresa. Agnela Barros (Angola), Márcio Meirelles (Brasil) e Antón Reixa (Espanha) traçaram um panorama sobre o equilíbrio entre financiamentos públicos e privados nos respectivos países. A necessidade de uma maior profissionalização dos agentes culturais ao nível da gestão dos seus projectos foi salientada por este último, enquanto que o brasileiro – ex-Secretário da Cultura do Estado da Bahia – lembrou o inalienável papel do Estado na definição de políticas que enquadrem quer os seus financiamentos directos, quer os financiamentos privados à actividade artística.

a Galiza e a lusofonia
O programa incluiu também a apresentação pública na Europa do P-STAGE – Portuguese-Speaking Theatre Actors Gather Energies [IV Estágio Internacional de Actores], um projecto de formação e criação artística desenvolvido em parceria pela Cena Lusófona, pelo Elinga Teatro (Angola) e pala AD – Acção para o Desenvolvimento (Guiné-Bissau), que conta ainda com a participação do Centro de Intercâmbio Teatral de São Tomé e Príncipe, do Teatro Vila Velha (Salvador, Brasil), do Centro Dramático Galego, do Theatro Circo de Braga e do Teatro da Cerca de São Bernardo, de Coimbra (Portugal), e das companhias de teatro portuguesas A Escola da Noite e Companhia de Teatro de Braga.

Numa extensão que não estava inicialmente prevista, foi ainda possível apresentar aos participantes do Encontro o trabalho desenvolvido pelos encenadores Ivam Cabral (Brasil) e José Mena Abrantes (Angola) a partir de obras dos autores galegos Ramón de Valle-Inclán e Castelao, respectivamente, numa demonstração prática de como a dramaturgia da Galiza há muito contribui para o enriquecimento do teatro dos países de língua portuguesa.

Salienta-se, por fim, o ambiente de confraternização e o contacto profundo com o teatro galego proporcionado aos participantes, concretizado também através da apresentação de dois espectáculos (“O Profesional”, pelo Centro Dramático Galego”, e “A tempestade”, pelos alunos da ESAD) e da visita à Culturgal – Feira das Indústrias Culturais da Galiza.

conclusões
Neste sentido, e na sua qualidade de organizadores da iniciativa, o Centro Dramático Galego e a Cena Lusófona:

  • destacam a significativa e representativa participação internacional e a calorosa recepção por parte da comunidade teatral galega;
  • congratulam-se pelos novos contactos que o Encontro veio proporcionar e que, à semelhança do que aconteceu nas duas edições anteriores, serão certamente potenciadores de iniciativas concretas de intercâmbio internacional no futuro próximo;
  • reconhecem e valorizam o envolvimento institucional da Xunta de Galicia, que entendem como uma manifestação clara do seu empenho em aprofundar as relações culturais com Portugal e os restantes países da CPLP;
  • partilham com a generalidade dos participantes a sua preocupação com a diminuição dos fundos públicos destinados à cultura em Portugal e em Espanha, que não só constrange as actividades dos agentes culturais nestes países como afecta gravemente as possibilidades de intercâmbio e de cooperação com os países que dispõem de menos recursos. Neste contexto, valorizam o papel complementar dos apoios privados à actividade cultural, incentivam os países que estão actualmente em crescimento económico a assumir um papel mais activo na dinamização da criação e da formação artísticas no espaço lusófono e dispõem-se a trabalhar, em conjunto com outros parceiros, na pesquisa e rentabilização dos fundos e programas internacionais disponíveis, no âmbito da União Europeia e outros;
  • registam com grande satisfação e anunciam publicamente a intenção manifestada pelo Elinga Teatro (Angola) e pelo festival Mindelact (Cabo Verde) de acolher o IV e o V Encontro Internacional sobre Políticas de Intercâmbio em Maio de 2013 e em Setembro de 2014, respectivamente.

Santiago de Compostela, 2 de Dezembro de 2012

Centro Dramático Galego
Cena Lusófona – Associação Portuguesa para o Intercâmbio Teatral

Anúncios