A Cena Lusófona e o Centro de Intercâmbio Teatral de São Tomé organizam entre 29 de Julho e 9 de Agosto uma oficina de iluminação em São Tomé e Príncipe, dirigida pelo iluminador português António Rebocho, do Centro Dramático de Évora. A formação ocorre no âmbito do projecto P-STAGE – IV Estágio Internacional de Actores e destina-se aos elementos dos grupos de teatro da ilha. As inscrições podem ser feitas até domingo 28 de Julho, para o e-mail cit.stp@hotmail.com.

A oficina decorre em paralelo com os trabalhos da oficina de interpretação dirigida por Márcio Meirelles que está a decorrer desde 8 de Julho e inclui, como exercício prático, a criação e montagem da iluminação do exercício final desse curso, cuja apresentação pública terá lugar a 31 de Julho no Pavilhão Cultural Dra. Alda do Espírito Santo, no Liceu Nacional.

O projecto P-STAGE – Portuguese-Speaking Theatre Actors Gather Energies (IV Estágio Internacional de Actores Lusófonos) é uma parceria entre a Cena Lusófona, a AD (Guiné-Bissau) e o Elinga Teatro (Angola), tendo como associados o CIT São Tomé, a Sol – Movimento de Cena (Salvador, Brasil), A Escola da Noite e a Companhia de Teatro de Braga (Portugal) e o Theatro Circo de Braga (Portugal). É desenvolvido no âmbito do Programa ACP (África, Caraíbas e Pacífico)-UE de apoio aos sectores culturais ACP, executado pelo Secretariado do Grupo dos Estados ACP e financiado pela União Europeia. Inclui a realização de três oficinas para actores nos países africanos envolvidos e a construção de um espectáculo com actores portugueses, brasileiros, angolanos, guineenses e são-tomenses, que estreará em Portugal em Outubro deste ano e circulará depois pelo espaço da CPLP. Paralelamente, a iniciativa prevê a realização de um documentário e de três oficinas de iluminação cénica, a primeira das quais tem lugar agora.
O CIT São Tomé tem existência jurídica desde Abril de 2013, mas funciona há vários anos como parceiro da Cena Lusófona naquele país, dinamizando várias acções de formação e gerindo o parque técnico que a Cena Lusófona colocou à disposição da comunidade teatral são-tomense em 2002. O envolvimento de São Tomé e Príncipe no projecto conta com o apoio do Governo da República, através do Ministério da Educação, Cultura e Formação. As actividades que agora estão a ter lugar no país ocorrem também no âmbito de mais uma edição do Festival Gravana .

António Rebocho e o CENDREV
Para a dinamização desta oficina a Cena Lusófona convidou o Centro Dramático de Évora (CENDREV) e o seu director técnico, António Rebocho. Nascido em 1967, António Rebocho é iluminador, régisseur-geral e técnico de luz no CENDREV desde 1986, tendo sido o autor da iluminação de peças de Gil Vicente, Shakespeare, Molière, Goldoni, Garrett, Büchner, Brecht, Vinaver, Almada Negreiros e Plínio Marcos, entre outros. Trabalhou com os encenadores Fernando Mora Ramos, Figueira Cid, Gil Nave, Luís Varela, Mário Barradas, Pedro Alvarez-Ossorio, Pierre-Etienne Heymann, Júlio Castronuovo, Luís Miguel Gonzalez, João Mota, Antônio Mercado, Castro Guedes, Paulo Alves Pereira, Paulo Lage, Victor Zambujo, José Russo, José Manuel Peixoto e António Augusto Barros, entre outros.
É formador na área da iluminação para teatro, tendo realizado diversas acções de formação no âmbito das actividades do CENDREV, do Ministério da Cultura (Direcção Regional de Cultura do Alentejo), do Governo Regional dos Açores ou da Universidade de Évora, na qual leccionou a disciplina “Técnica de Montagem Cénicas”, nas áreas iluminação e programação de mesas de luz (curso de Estudos Teatrais).

Anúncios