10

“Mais cultura, mais Cidadania”. Este é o lema escolhido para a edição 2013 do Festival Gravana que conta, este ano, com o apoio da CST e da Cena Lusófona.

O evento, a decorrer de 8 a 30 do corrente, percorrerá todos os distritos e a ilha do Príncipe, tendo começado em Madalena. Este domingo, o festival estará na cidade de Santana.
“A ideia é aproveitarmos as festas religiosas das freguesias, um acontecimento cultural em si, e mostrarmos as potencialidades, a riqueza e a diversidade da nossa cultura”, disse Ayres Major da Direcção de Cultura, um dos coordenadores do festival. Uma das actividades mais importantes, a ter lugar na Casa da Cultura, será uma oficina de representação para actores nacionais, como parte do projecto Cena Lusófona, financiado pela União Europeia e que reúne cinco países da CPLP, nomeadamente Portugal, Brasil, Angola, Guine Bissau e São Tomé e Príncipe. Dois actores nacionais irão fazer parte deste projecto que tem pela frente o desafio de preparar uma peça para estrear em Portugal e, posteriormente, uma digressão pelos países da CPLP.
“Pretendemos, com este festival, diversificar a oferta turística. Vamos apresentar a diversidade cultural com enfoque para as artes, música, lazer, movimento social, educação, valorizando a imagem do país ao nível interno e externo”, sublinhou, por sua vez, Nelson Campos, Director da Casa da Cultura.
Para além dos espectáculos e da exibição de diversos grupos culturais em todo o país, outra actividade será o lançamento de dois documentários na área de estudo e inventariação da cultura são-tomense, sobre os narradores orais, um de São Tomé e outro do Príncipe.
“São dois documentários que foram feitos ao longo do tempo e que será exibido no dia 16 de Agosto, disse António Barros.
José Jardim, administrador da CST, manifestou a sua satisfação em apoiar iniciativas desta natureza.
“Temos apoiado sectores como a educação, o desporto e, um pouco, também a cultura. Esta é uma oportunidade de aprofundarmos o apoio no sector cultural. Estamos disponíveis também no futuro em continuar a apoiar este festival.”
O titular da Educação, Cultura e Formação, Jorge Bom Jesus, sublinhou que, no decurso do festival, “São Tomé e Príncipe vai mostrar à CPLP, à África e ao mundo o vasto leque de tropical e multi-colorido da cultura nacional.
“O Festival Gravana é hoje uma marca. Apesar das vicissitudes do passado, uma trajectória de altos e baixos, acreditamos que com esta nova roupagem vamos trilhar um longo caminho e continuar a sedimentar as raízes deste nosso e vosso festival gravana que, como bola de neve já está a engordar-se para abraçar a sub-região, a CPLP e o mundo, disse Jorge Bom Jesus.

Ectylsa Bastos, jornal Kê Kua!, 27 de Julho de 2013

Anúncios