exercicio01

foto: Eduardo Pinto

 

dias 11 e 12
os últimos 2 dias são memórias de um processo quase sequencial
organizamos e edito as cenas
em casa penso e coloco no papel sequencias q experimentamos
faço cortes e intercalo situações
crio 3 blocos
no primeiro a gravidez adolescente e o caso do medroso
o jovem lutador q engravida a adolescente é filho do sr bondoso
o desempregado q teme a noite
no segundo a questão da divisão das terras herdadas
e do marido q apanha da mulher
se intercalam
questões de família a serem resolvidas
no terceiro a mãe q perdeu o filho e o djambi q revela cada um sem máscara
cada ator/atriz recebe uma cópia do guião
experimentamos
intercalo as cenas c ritmos
e c as canções q eles trouxeram
reedito alguns cortes q n deram mto certo
ouço sugestões e experimento
umas aceito outras n
no penúltimo dia um novo final me surpreende
qdo a mãe “montada” começa a dizer o q deveria
interrompo e peço q o espírito diga q o filho dela está perdido
assim como todas as crianças africanas
se n cuidarmos delas
e peço q todos cantem a canção da unidade africana
q um dos atores trouxe para o seu personagem
a vibração e alegria são intensas
é emocionante
no dia seguinte é a apresentação

29 e 30/07/2013
dia 13
demora do ministro da cultura
atores e atrizes sentados em seus lugares depois do último ensaio
a embaixadora de Portugal chega e sai rápido
sem entrar na sala onde estamos
por fim desiste-se de esperar pelo ministro e começamos
fala de barros
a cena lusófona apresenta o projeto P-STAGE
o ministro chega
amador (flasquim) e alice falam como participantes
rápidas palavras sobre o processo
falo sobre a importância pra mim desta troca de saberes
de manuseios de ferramentas q tivemos e de como s tomé se mostrou
p mim pelo teatro e a riqueza q são esses atores e essa cultura
peço ao ministro q cuide deles
falo dos 49 anos do teatro vila velha hj e da comemoração transatlântica
q será apresentarmos o experimento no mesmo dia
falo q o vila nasceu como espaço de liberdade 4 meses depois do golpe militar
q instalou a ditadura no brasil e da importância deste espaço [teatro] na bahia
no brasil
desde então
apresentamos o experimento

31/07/2013

 

Originalmente publicado aqui!

Márcio Meirelles, que dirigiu a Oficina de Interpretação de São Tomé, manteve ao longo da formação um diário de Bordo no blog do Teatro Vila Velha, do qual é director artístico.

Anúncios