A Multitel, empresa de comunicações angolana, é a primeira empresa privada a associar-se ao projecto P-STAGE. O protocolo foi assinado no passado mês de Maio e refere-se a todas as actividades que têm lugar no âmbito do projecto, que a Cena Lusófona desenvolve em parceria com o Elinga Teatro (Angola), a Acção para o Desenvolvimento (Guiné-Bissau) e vários outros parceiros em São Tomé e Príncipe, Portugal e Brasil.

img1

O P-STAGE – Portuguese-Speaking Theatre Actors Gather Energies (IV Estágio Internacional de Actores) é um projecto de formação, criação e difusão teatral financiado pela União Europeia no âmbito do programa de apoio aos sectores culturais dos países ACP – África, Caraíbas e Pacífico (ACP Cultures).
Teve início ainda em 2012 e cumpriu já uma primeira fase, composta por três oficinas de interpretação, realizadas em Angola (Novembro de 2012), Guiné-Bissau (Abril de 2013) e São Tomé e Príncipe (Julho de 2013). Estas acções foram dirigidas, respectivamente, pelos encenadores Rui Madeira (Portugal), Cándido Pazó (Galiza) e Márcio Meirelles (Brasil) e serviram também para seleccionar os actores africanos que integram o elenco do espectáculo “As Orações de Mansata”, cujos ensaios estão neste momento a decorrer.
Nesta segunda etapa, iniciada este mês em São Tomé e Príncipe, António Augusto Barros dirige um elenco de 13 actores – os sete actores africanos seleccionados juntam-se a quatro actores oriundos de Portugal e a dois actores do Teatro Vila Velha, de Salvador (Brasil). No início de Setembro a comitiva desloca-se para Coimbra, Portugal, cidade onde o espectáculo estreará, no Teatro da Cerca de São Bernardo, a 17 de Outubro. “As Orações de Mansata” é uma peça do autor guineense Abdulai Sila e a montagem é uma co-produção entre a Cena Lusófona, o Bando de Teatro Olodum / Teatro Vila Velha e as companhias portuguesas A Escola da Noite e Companhia de Teatro de Braga.
Na terceira fase do projecto, que se estende até 2014, o espectáculo efectuará uma digressão pelos vários países envolvidos – pelas cidades portuguesas de Braga e Évora (entre outras) e ainda Brasil, Galiza, Guiné e Angola, país para o qual está previsto o encerramento do projecto.
O P-STAGE prevê ainda a realização de três oficinas de iluminação cénica nos países africanos envolvidos (a primeira das quais decorreu já em São Tomé, dirigida por António Rebocho) e a produção e edição de um documentário, realizado por Andrzej Kowalski e Luis Margalhau.

image004

A Multitel
Sensibilizada pelo interesse cultural do projecto e pela visibilidade das actividades que ele inclui, em Angola e no espaço da CPLP, a Multitel – Serviços de Telecomunicações, Lda. confirmou-se como a primeira parceira privada do P-STAGE, através de um apoio financeiro que contribui para a sua viabilização, designadamente no que diz respeito ao cumprimento, por parte da Cena Lusófona, da parte do orçamento que não é financiada pela União Europeia. O protocolo foi formalizado em Maio deste ano, mas a Empresa acompanha o projecto desde o início e marcou presença na sessão de apresentação do P-STAGE em Luanda, realizada a 22 de Novembro de 2012, com a presença da Ministra da Cultura de Angola, Rosa Cruz e Silva.
A operar em Angola desde 1999, a Multitel tem como actividade principal a exploração e a prestação de serviços de telecomunicações nacionais e internacionais de dados, concentrando a sua actividade no mercado empresarial, sector em que detém uma reconhecida experiência. Desenvolve e propõe aos seus clientes soluções inovadoras e personalizadas que permitem uma comunicação eficiente e segura entre as várias unidades de negócio das organizações e entre estas e os seus fornecedores e parceiros. Na sua estrutura accionista destacam-se a PT – Portugal Telecom (40%), a AT – Angola Telecom (30%) e o BCI – Banco de Comércio e Indústria (20%).

Anúncios