A digressão internacional de “As Orações de Mansata”, de Abdulai Sila, termina a 16 e 17 de Maio em Luanda, Angola. O espectáculo é o resultado mais visível do IV Estágio Internacional de Actores, organizado pela Cena Lusófona em parceria com o Elinga Teatro e a ONG guineense AD, com financiamento da União Europeia. As apresentações têm lugar no Teatro Nacional, às 20h30.

img_5275

“As Orações de Mansata”, de Abdulai Sila, é a primeira peça de teatro editada da Guiné-Bissau. Inspirada em Macbeth, de Shakespeare, esta tragicomédia oferece um impiedoso retrato dos mecanismos de corrupção, luta pelo poder e violência que caracterizam vários regimes políticos em todo o mundo. A busca das orações de Mansata, que supostamente darão aos seus detentores os poderes necessários para dominar o povo, desenrola-se num processo em que a traição, a tortura e a morte são reduzidas à banalidade.
O espectáculo é encenado por António Augusto Barros e conta com um vasto elenco multi-nacional, que integra actores angolanos, brasileiros, guineenses, moçambicanos, portugueses e são-tomenses. São igualmente marcantes os contributos artísticos de João Mendes Ribeiro e Luisa Bebiano (cenografia), Jarbas Bittencourt (direcção musical e música original), Zebrinha (movimento), Braima Galissa (kora) e Ana Rosa Assunção (figurinos).
As apresentações em Luanda terão lugar nos dias 16 e 17 de Maio, no Teatro Nacional, sempre às 20h30. Paralelamente à montagem e apresentações do espectáculo, terá lugar uma oficina de iluminação cénica dirigida pelo iluminador português António Rebocho, do Centro Dramático de Évora.

O P-STAGE e a digressão internacional
O espectáculo foi construído no âmbito do P-STAGE – IV Estágio Internacional de Actores, um projecto de formação, criação e difusão teatral liderado pela Cena Lusófona, financiado pela União Europeia, através do programa de apoio aos sectores culturais dos países ACP (ACP Cultures+).
O projecto teve início em 2012 e é uma parceria com o Elinga Teatro (Angola) e a AD – Acção para o Desenvolvimento (Guiné-Bissau), contando ainda com várias outras instituições associadas nestes países e em São Tomé, Brasil e Galiza. Numa primeira fase, foram realizadas três oficinas de interpretação, em Angola, na Guiné-Bissau e em São Tomé e Príncipe. A partir dessas oficinas foram seleccionados sete actores africanos, que se juntaram a seis actores profissionais – quatro portugueses e dois brasileiros – para compor o elenco do espectáculo final.
“As Orações de Mansata” estreou em Coimbra em Outubro de 2013 e foi ainda apresentado em Braga, Évora, Campo Benfeito (Castro Daire), Bragança, Santiago de Compostela, Figueira da Foz e Bissau, num total de 31 apresentações até ao momento.
Até ao final do ano será editado o documentário de Andrzej Kowalski, que engloba todas as fases do projecto.

TEATRO
As Orações de Mansata
de Abdulai Sila
co-produção Cena Lusófona / A Escola da Noite / Companhia de Teatro de Braga / Teatro Vila Velha (Salvador, Brasil)
dramaturgia e encenação António Augusto Barros elenco Amador Fernandes, Ella Nascimento, Emílio Lucombo, Igor Lebreaud, Jorge Biague, Marleny Musa, Miguel Magalhães, Paulo Figueira, Ridson Reis, Rogério Boane, Solange Sá, Trindade Gomes da Costa, Wilson de Sousa cenografia João Mendes Ribeiro e Luísa Bebiano figurinos e adereços Ana Rosa Assunção direcção musical Jarbas Bittencourt apoio coreográfico / movimento Zebrinha desenho de luz Fernando Conceição
2h30 com intervalo > M/12

Luanda, Teatro Nacional (Angola)
16 e 17 de Maio
sexta-feira e sábado, 20h30

Anúncios