2. objectivos

Juntando, como parceiros ou associados, instituições de Portugal, Angola, Brasil, Guiné-Bissau e São Tomé e Principe, o projecto tem como objectivos gerais:

  • melhorar as condições para a criação artística em três países ACP (países de África, das Caraíbas e do Pacífico) de língua portuguesa (Angola, Guiné-Bissau e São Tomé e Principe);
  • estimular o trabalho em rede entre os diferentes países, bem como as ligações com organizações culturais de outros países de língua portuguesa e outros países africanos;
  • reforçar a visibilidade internacional da criação artística dos países ACP envolvidos.

Para atingir estes objectivos, os três parceiros assumem como objectivos específicos:

1. em relação às condições para uma melhor e mais consistente criação teatral nos países ACP:
– melhorar as aptidões técnicas e artísticas individuais dos participantes;
– reforçar as capacidades artísticas, técnicas e organizativas dos agentes culturais;
– estimular e reforçar o papel das organizações de apoio, como os Centros de Intercâmbio Teatral.

2. em relação ao reforço do trabalho em rede e à visibilidade internacional:
– reforçar o circuito internacional de espectáculos entre os países de língua portuguesa, dentro da área ACP, na União Europeia e no Brasil;
– estimular a participação de agentes teatrais dos países ACP de língua portuguesa em festivais internacionais, nomeadamente em Angola, São Tomé e Príncipe e no Brasil.

Em função destes objectivos, o projecto espera atingir os seguintes resultados:

  • um espectáculo profissional com um elenco internacional que inclui actores portugueses, brasileiros e dos três países ACP envolvidos;
  • três exercícios-espectáculo produzidos no final de cada workshop nos três países africanos envolvidos;
  • a instalação formal do Centro de Intercâmbio Teatral de São Tomé e Príncipe;
  • um documentário vídeo sobre o processo de trabalho, rodado em todos os países envolvidos, incluindo depoimentos dos participantes e das instituições associadas;
  • apresentações internacionais do espectáculo final, numa digressão que inclui São Tomé e Príncipe, Portugal, Guiné-Bissau, Brasil e Angola.